sexta-feira, 31 de outubro de 2014

ESTUDANTES GANHAM PLATAFORMA DE ESTUDO VIRTUAL COM FOCO PARA O ENEM




































No mês de novembro, milhões de estudantes realizam uma das avaliações mais importantes para o ingresso no ensino superior: trata-se do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Atenta as novas técnicas de aprendizagem e proporcionando mais uma ferramenta para que os estudantes possam se preparar para o Enem, a Secretaria de Educação, em parceria com o portal CLICKIDEIA, oferece acesso gratuito a plataforma multimídia gratuita de estudo complementar para estudantes do Ensino Médio. Todo material ofertado está de acordo com as especificações exigidas pelo MEC.

Os alunos matriculados em escolas estaduais de ensino médio poderão acessar o site www.clickideia.com.br/seecrn, preencher um formulário e já estarão habilitados a acessar as mais de 15 mil páginas de conteúdo didático. Pensado de acordo com os Parâmetros Curriculares do Ensino Médio e as avaliações do SAEB, o portal oferta questões de edições passadas de vestibulares de todo o país, áreas de produção textual com dicas de argumentação, normas gramaticais e estilos literários, jogos didáticos com temas ligados a atualidade e um vasto banco de dados onde cada estudante poderá tirar dúvidas sobre todas as disciplinas.

O portal existe desde 2000, como uma plataforma virtual para atividades pedagógicas. O Click ENEM, um dos diversos recursos inseridos no Portal, foi disponibilizado em 2012. O diretor geral do portal, Manoel Dantas, explica como a ferramenta pode ser útil nos estudos: “É possível filtrar, por exemplo, de quais anos as questões serão replicadas e quais áreas de conhecimento estão inseridas na prova simulada, dando ao aluno um maior leque de opções para seu estudo”.



UERN LANÇA CURSO DE GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA EM LETRAS


CONFIRA O EDITAL DO PSV-EAD 2015 NO SITE:












quarta-feira, 29 de outubro de 2014

sábado, 25 de outubro de 2014

RN ALFABETIZADO: 2º ENCONTRO DE FORMAÇÃO CONTINUADA


Dando prosseguimento às formações, aconteceu dia 24/10, nos turnos matutino e vespertino, no auditório da 12ª DIRED, o 2º Encontro da Formação Continuada, do RN Alfabetizado, para Coordenadores e Alfabetizadores.

Palestrante - professora Regina Cruz - IFESP
No 1º momento, a palestrante Regina Cruz, do Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy – IFESP, falou sobre a socialização dos registros realizados pelos Coordenadores/Alfabetizadores do programa.


No 2º momento, a palestrante, professora Regina Cruz, elencou os seguintes assuntos da pauta:

·         Leitura Reflexiva
·         Registro da Prática Pedagógica



Na Oficina Formativa, a professora separou coordenadores e alfabetizadores em grupos e, cada grupo, trabalhou:

·         Trabalhar Nomes
·         Origem do Nome
·         Alfabetização e Letramento
·         Aprendendo Juntos
·         Atividades Práticas



No 3º momento, a coordenadora setorial, a técnica da 12ª DIRED Lindalva Batista, assumiu os trabalhos com:

·         Trabalho dos Instrumentos
·         Folha de Frequência
·         Relatório de Visitas
·         Substituição de Alunos



VISITA DA GOVERNADORA

A Governadora do Estado do Rio Grande do Norte, doutora Rosalba Ciarlini, a convite da diretora da 12ª DIRED – professora Magali Delfino –, esteve na instituição para prestigiar o Encontro do RN Alfabetizado e parabenizar coordenadores e alfabetizadores pelo empenho em procurar ampliar metodologias que possam agregar valores de excelência à Educação do Estado.

NO AUDITÓRIO...

Governadora Rosalba Ciarlini
No auditório da 12ª DIRED
Ao lado do Deputado Federal (eleito no último pleito) Betinho Rosado
NA SALA DO MAIS EDUCAÇÃO...

A Governadora esteve na Sala do Mais Educação e parabenizou o gestor da
E. E. Rui Barbosa (Tibau) pela participação dos alunos na Feira de Ciências de Londres/Inglaterra
No 4º momento, as coordenadoras do encontro entregaram os kits com o material escolar do programa.

NOTA DA 12ª DIRED:
                         
PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO
O MEC realiza, desde 2003, o Programa Brasil Alfabetizado (PBA), voltado para a alfabetização de jovens, adultos e idosos. O programa é uma porta de acesso à cidadania e o despertar do interesse pela elevação da escolaridade. O Brasil Alfabetizado é desenvolvido em todo o território nacional, com o atendimento prioritário a municípios que apresentam alta taxa de analfabetismo, sendo que 90% destes localizam-se na região Nordeste. Esses municípios recebem apoio técnico na implementação das ações do programa, visando garantir a continuidade dos estudos aos alfabetizandos. Podem aderir ao programa por meio das resoluções específicas publicadas no Diário Oficial da União, estados, municípios e o Distrito Federal. 

Objetivo: Promover a superação do analfabetismo entre jovens com 15 anos ou mais, adultos e idosos e contribuir para a universalização do ensino fundamental no Brasil. Sua concepção reconhece a educação como direito humano e a oferta pública da alfabetização como porta de entrada para a educação e a escolarização das pessoas ao longo de toda a vida.

Ações: Apoiar técnica e financeiramente os projetos de alfabetização de jovens, adultos e idosos apresentados pelos estados, municípios e Distrito Federal.

SABERES DA TERRA DA SERRA: ECONOMIA SOLIDÁRIA NA PRÁTICA

Subindo a serra que dá acesso ao município da Serra do Mel, os professores Raimundo Antonio, Teresa Cristina e Antônia Farias levavam na bagagem – enquanto o carro corria pela noite adentro – as últimas notícias sobre a fase final do programa. Com eles, a estagiária de Pedagogia, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN, cujo TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) é sobre a Pedagogia da Alternância.


Já na vila Rio Grande do Norte, os professores receberam os alunos vindos das vilas Caravela, Ceará e Paraíba, todos motivados, finalmente, pela implantação dos dois projetos voltados para a Economia Solidária.

Quando todos se sentiram recepcionados, os professores apresentaram a estagiária Priscila e esta falou sobre a sua pesquisa de final de curso de graduação.



Os professores iniciaram as atividades com uma dinâmica sobre a importância de se ver coletivamente e de como o ser precisa estar em comunhão com o seu próximo. A dinâmica consistia em colocar uma das mãos para trás e, na outra – esticada para frente – segurar um pirulito. Desta forma, cada um deveria abrir o invólucro, sem ter que usar a outra mão, e sem recolher a mão esticada. A dinâmica funcionou, pois cada um procurou o companheiro do lado para que este os auxiliasse na retirada do papel que encobria o pirulito. A dinâmica foi finalizada com a reflexão de todos.





Logo após a dinâmica, o professor Raimundo Antonio usou da palavra para falar sobre os dois projetos de hortifrutigranjeiro que está sendo implantado nas vilas Ceará e Paraíba.


Em seguida, foram mostrados, para todos, os esboços dos projetos que serão implantados nas vilas Ceará e Paraíba...



Dando continuidade à aula, a professora Teresa Cristina apresentou os slides sobre “A Economia Solidária”, reforçando a necessidade de um trabalho conjunto, organizado e que, distribuído entre todos, valorize o ser humano.



Depois do jantar, os alunos voltaram e foram desenvolver, em grupos, as reflexões colocadas como perguntas para cada grupo...




NOTA DA 12ª DIRED:

1 - Economia solidária é uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza (economia) centrada na valorização do ser humano e não do capital. Tem base associativista e cooperativista, e é voltada para a produção, consumo e comercialização de bens e serviços de modo autogerido, tendo como finalidade a reprodução ampliada da vida.
"A economia solidária é uma alternativa inovadora na geração de trabalho e na inclusão social, na forma de uma corrente do bem que integra quem produz, quem vende, quem troca e quem compra. Seus princípios são autogestão, democracia, solidariedade, cooperação, respeito à natureza, comércio justo e consumo solidário."
A economia solidária preconiza o entendimento do trabalho como um meio de libertação humana dentro de um processo de democratização econômica, criando uma alternativa à dimensão alienante e assalariada das relações do trabalho capitalista.
Além disso, a Economia Solidária possui uma finalidade multidimensional, isto é, envolve a dimensão social, econômica, política, ecológica e cultural. Isto porque, além da visão econômica de geração de trabalho e renda, as experiências de Economia Solidária se projetam no espaço público, no qual estão inseridas, tendo como perspectiva a construção de um ambiente socialmente justo e sustentável; vale ressaltar: a Economia Solidária não se confunde com o chamado "Terceiro Setor" que substitui o Estado nas suas obrigações legais e inibe a emancipação de trabalhadoras e trabalhadores, enquanto sujeitos protagonistas de direitos. A Economia Solidária reafirma, assim, a emergência de atores sociais, ou seja, a emancipação de trabalhadoras e trabalhadores como sujeitos históricos.

2 – Pedagogia da Alternância: A vida no campo também ensina. Esse é o preceito básico da Pedagogia de Alternância, proposta usada em áreas rurais para mesclar períodos em regime de internato na escola com outros em casa. Por 30 anos, a receita foi aplicada no Brasil por associações comunitárias sem o reconhecimento oficial. Agora, o Ministério da Educação (MEC) não apenas aceitou a Alternância como também quer vê-la ainda mais disseminada. 

A metodologia foi criada por camponeses da França em 1935. A intenção era evitar que os filhos gastassem a maior parte do dia no caminho de ida e volta para a escola ou que tivessem de ser enviados de vez para morar em centros urbanos. No Brasil, a iniciativa chegou com uma missão jesuíta, no Espírito Santo, em 1969. Logo se espalhou por 20 estados, em áreas onde o transporte escolar é difícil e a maioria dos pais trabalha no campo. Os alunos têm as disciplinas regulares do currículo do Ensino Fundamental e do Médio, além de outras voltadas à agropecuária. Quando retornam para casa, devem desenvolver projetos e aplicar as técnicas que aprenderam em hortas, pomares e criações.