sexta-feira, 29 de julho de 2016

TV ASSEMBLEIA TRAZ AULÃO ESPECIAL DE PREPARAÇÃO PARA O ENEM A PARTIR DE DOMINGO

Na reta final de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016, os candidatos passam a contar, a partir deste domingo (31), com mais um reforço para as provas que poderão garantir uma vaga em universidades de todo o país. A TV Assembleia passa a exibir, ao vivo, através do programa Conexão Enem, nos últimos domingos de cada mês, um aulão especial de preparação para o Exame. 

O presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) destacou a importância das aulas e a competência dos profissionais. “Estamos dando um importante passo para ajudar na preparação dos candidatos. Aproveitem. Vocês estão em ótima companhia na coordenação do professor João Maria de Lima e professores de renome da Cidade, especialistas no Enem, a quem quero deixar o meu muito obrigado”, disse Ezequiel Ferreira. 

O aulão acontece das 8h às 12h e neste domingo a aula é sobre Ciências da Natureza, que engloba as disciplinas de Física, com o professor Carlos André; Química, com a professora Iara Concentino e Biologia, com André Viana. Dia 28 de agosto a aula é de Ciências Humanas, dia 25 de setembro, Matemática e 30 de outubro tem aulão de Redação e Linguagem. 

A TV Assembleia já exibe toda quinta-feira, ao vivo, com uma hora de duração, o programa Conexão Enem. Com apresentação do professor de Redação, João Maria de Lima, o programa conta com a participação de outros professores e especialistas em diversas áreas do conhecimento. Interativo, o programa usa a rede social WhatsApp para receber opiniões, sugestões e perguntas dos telespectadores. 

Com vídeos, slides e reportagens especiais elaboradas pela equipe da TV Assembleia, o programa tem sido acompanhado com atenção em todas as regiões do Estado. 

“Os aulões vão contemplar todas as áreas de conhecimento e são importantes porque podem ser acompanhados por candidatos de todo o Rio Grande do Norte. A novidade fica por conta da plateia, que terá 120 alunos de escolas estaduais, cadastrados pela Secretaria Estadual de Educação, que poderão interagir durante o aulão”, conta o professor João Maria.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

COMITÊ GESTOR BALIZARÁ DISCUSSÕES DA BASE CURRICULAR E SOBRE REFORMA DO ENSINO MÉDIO

O Ministério da Educação, em portaria publicada nesta quinta-feira, 28, instituiu o Comitê Gestor da Base Nacional Comum Curricular e Reforma do Ensino Médio. O colegiado surge para acompanhar o processo de discussão da segunda versão preliminar da Base e deve encaminhar ao Conselho Nacional de Educação (CNE) a proposta final do documento, além de contribuir com subsídios para a reforma do ensino médio.

Entre as atribuições do comitê estão as de acompanhar os debates sobre o documento da Base a serem promovidos nos estados e no Distrito Federal até agosto próximo; convidar especialistas para discutir temas específicos da proposta em discussão; sugerir alternativas para a reforma do ensino médio; propor definições, orientações e diretrizes para a elaboração da versão final e implementação da BNCC e sobre a reforma do ensino médio.

O comitê vai estabelecer ainda um cronograma de trabalho, indicar especialistas para redigir a versão final do documento e estabelecer orientações para a implantação gradativa das diretrizes da Base pelas redes de ensino públicas e particulares.

Em sua composição, o comitê será constituído pela Secretaria Executiva do MEC, que o presidirá; pelo titular da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC, que atuará como secretário executivo, e pelos membros titulares das secretarias de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi); de Educação Profissional e Tecnológica (Setec); de Educação Superior (Sesu); de Articulação dos Sistemas de Ensino (Sase), todas do MEC, e pelo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

O documento final da Base Nacional Comum Curricular vai definir o conjunto de conhecimentos e habilidades que os alunos devem adquirir e desenvolver em cada etapa de ensino e em cada ano de escolaridade. A Base servirá de documento orientador para que sistemas e redes de ensino desenvolvam os próprios currículos.

Médio — Para o ensino médio, será proposta uma nova formatação, que terá como diretriz a diversificação da oferta para possibilitar aos jovens diferentes percursos acadêmicos e profissionalizantes de formação.

EXAME DE PROFICIÊNCIA TEM AS INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 18 DE AGOSTO

Estão abertas até 18 de agosto próximo as inscrições on-line para o exame de obtenção do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), segunda edição de 2016. Podem participar do exame cidadãos estrangeiros e brasileiros, residentes no Brasil e no exterior, com no mínimo 16 anos completos na data do exame, cuja língua materna não seja o português. A escolaridade mínima deve ser equivalente ao ensino fundamental brasileiro completo.

Para que a inscrição seja validada, é necessário preencher as informações da ficha disponível na página do exame na internet. O pagamento da taxa deve ser feito de acordo com as orientações do posto aplicador selecionado pelo candidato no momento da inscrição. Até 19 de agosto, os candidatos à certificação devem apresentar documentos de identificação — pode ser passaporte ou outro documento oficial —, além do comprovante de pagamento da taxa de inscrição.

O coordenador do posto aplicador, responsável pela realização da homologação das inscrições, terá até as 23h59 de 23 de agosto para prestar as informações, pela internet, por meio de sistema eletrônico do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

As provas (oral e escrita) serão realizadas entre 18 e 20 de outubro, em 29 postos credenciados no Brasil e em 65 no exterior. Haverá tarefas de compreensão oral e produção escrita (uma baseada em vídeo e outra em áudio) e de leitura. A avaliação oral compreende atividade de interação face a face, com duração de 20 minutos.

De acordo com a pontuação obtida, o participante será classificado em quatro níveis de proficiência. Aqueles que obtiverem pontuação entre 2 e 2,75 serão classificados no nível intermediário; entre 2,76 e 3,5, no intermediário superior; entre 3,51 e 4,25, no avançado; entre 4,26 e 5, no avançado superior. Quem obtiver menos de 2 pontos não obterá a certificação.

Oficial — O Celpe-Bras é o único documento brasileiro de proficiência em português como língua estrangeira reconhecido oficialmente. O certificado é aceito internacionalmente por empresas e instituições de ensino. No Brasil, é exigido pelas universidades para ingresso de cidadãos de outras nacionalidades em cursos de graduação e em programas de pós-graduação.

Na edição de abril deste ano, o exame teve 1.543 aprovados no nível intermediário, 1.343 no intermediário superior, 758 no avançado e 123 no nível superior.

Mais informações no Edital do Inep nº 20, de 26 de julho de 2016. 

A inscrição deve ser feita na página eletrônica do Celpe-Bras.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

SEGURANÇA E EDUCAÇÃO DISCUTEM AÇÕES DE POLÍTICAS PÚBLICAS INTEGRADAS

O governador Robinson Faria se reuniu na manhã desta quarta-feira (27) com agentes de segurança e representantes de escolas municipais e estaduais de Natal. O encontro aconteceu na Escola de Governo e teve por objetivo promover a cooperação da educação e segurança em busca de políticas públicas integradas.

Robinson Faria destacou que a segurança é um grande desafio e para superá-lo é preciso a integração entre Estado e municípios. “Cada um tem o papel fundamental na melhoria do cenário e números da segurança do RN. Com essa cooperação que se inicia hoje, a atuação da polícia será mais eficiente, atendendo as especificidades de cada área, aplicando as diretrizes de proximidade com a comunidade e trazendo melhores resultados para a sociedade”, disse o governador.

Durante o encontro, os participantes estiveram agrupados por bairros das Áreas Integradas de Segurança Pública (AISPs). Foram divulgadas as ações que estão sendo implementadas nas escolas e as que estão em fase de planejamento. Ainda na ocasião, o secretário de Segurança Pública, Ronaldo Lundgren entregou oficialmente ao governador, as diretrizes do programa Ronda Cidadã.

“Serão realizadas reuniões periódi
cas entre delegados, oficiais da PM e diretores escolares para que os problemas de cada AISP sejam resolvidos de acordo com as necessidades e diagnósticos apresentados pelas unidades educacionais”, explicou o secretário da Sesed, Ronaldo Lundgren.

A secretária de Educação do RN, Cláudia Santa Rosa completou que “é necessária a intervenção da segurança pública nas escolas para garantir a proteção de alunos, professores e comunidade”.

Na reunião, também estiveram presentes o Comandante da Polícia Militar, Coronel Dancleiton Pereira; o Delegado Geral da Polícia Civil, Clayton Pinho; o Comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Otto Ricardo; a representante do Departamento de Políticas Públicas do Observatório das Metrópoles da UFRN, Sara Raquel; o presidente do Conselho Estadual da Paz nas escolas, João Maria; o secretário municipal da Segurança Pública e Defesa Social de Natal, Daniel Henrique; além de diretores escolares, conselheiros e técnicos da secretaria estadual de Educação, gestores da segurança pública, companhias, delegados de polícia civil, chefes de investigação e guarda municipal da capital.

VOLTA ÀS AULAS: LÁ VEM UMA NOVA ADAPTAÇÃO!

Essa semana, recomeçam as aulas em boa parte das escolas do País. Esse retorno costuma ser um período mais sensível para as crianças e até para os jovens. Afinal, todo recomeço é um novo começo. Os vínculos precisam se restabelecer, há novamente um esforço para se adaptar aos horários, ao espaço, aos colegas, aos professores e aos novos desafios... Até mesmo para os adultos, a retomada de uma rotina é difícil: volta aquele corre-corre de manhã, a pressa para não chegar atrasado, leva e busca, "como foi na escola hoje?" e "já fez o dever de casa?".

Porém, uma coisa é certa: quando bem encaminhada, essa readaptação dá certo. Mas, para que isso aconteça, precisamos participar! Aliás, diversas pesquisas mostram que, quando os pais participam de pertinho da educação dos filhos, a aprendizagem deles é muito, muito melhor.

Pensando nisso, compartilharemos aqui quatro dicas para volta às aulas.

Converse com seu filho sobre o retorno para a escola

Ajude a criança a lembrar que é muito importante ir para a escola e quanta coisa gostosa ela faz por lá, quanta coisa ela aprende; fale dos amigos, do recreio. No caso dos mais velhos, converse sobre as expectativas relativas ao segundo semestre, que professor vai dar a primeira aula, sobre o que eles acham que vai ser, o que eles gostariam de aprender e de fazer na escola nos próximos meses.

Valorize esse momento

Ajude a arrumar o material, a separar o uniforme. Rever os cadernos do semestre anterior também é uma forma de ligar de novo a chavinha da escola.

Vá com ele para a escola no primeiro dia de aula

Programe-se para levá-lo à escola no primeiro dia, não importa se ele vai fazer esse caminho sozinho ou com os amigos depois.

Converse com os professores

A ida à escola não é só para ajudá-los a relembrar o caminho, mas também para conversar um pouco com os professores e, se der, com outros educadores – do bedel à diretora. Quando você vai à escola desde o primeiro dia, já começa com o pé direito, estabelecendo uma boa relação com os educadores de seus filhos. E isso é outra coisa que as pesquisas confirmam: a aproximação entre a família e os educadores só gera resultados positivos para a aprendizagem.

E vale lembrar: é melhor se envolver desde o começo – ou recomeço – das aulas até o final, inclusive durante as férias, feriados, fins de semana...  Quando você valoriza a educação de seu filho, ajuda a valorizar a Educação em geral. E isso é bom para todo mundo!

terça-feira, 26 de julho de 2016

NOSSOS NOVOS ENDEREÇOS NAS REDES SOCIAIS

CONFIRA NOSSOS ENDEREÇOS NAS DIVERSAS REDES SOCIAIS

SIGA-NOS.

NOS ADICIONE AS SUAS REDES.

COMPARTILHE.

CURTA.




CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS VAI EXCLUIR GRADUAÇÃO E FOCAR NO ENSINO MÉDIO

O governo federal vai deixar de conceder bolsas de intercâmbio a estudantes brasileiros de graduação pelo programa Ciências sem Fronteiras (CsF). Em nota, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) afirmou que o programa, interrompido no ano passado, será retomado com foco no ensino de línguas "incluindo jovens pobres já no ensino médio matriculados em escolas da rede pública" e estudantes de pós-graduação.

A Capes afirma que o governo vai honrar as dívidas com os bolsistas que ainda estão no meio dos cursos no exterior. Segundo o órgão, os últimos estudantes do programa em seu molde original têm contrato de bolsa até o começo de 2017.

De acordo com a atual gestão do Ministério da Educação, uma "análise preliminar" do CsF indicou a "necessidade de aperfeiçoamento do programa, especialmente na graduação, onde as instituições de ensino participantes não foram chamadas para desempenhar um papel ativo no processo de mobilidade acadêmica".

A Capes afirma que o governo em exercício considera "elevado" o custo da graduação-sanduíche. De acordo com os dados divulgados na nota, em 2015 a Capes gastou R$ 3,248 bilhões para custear o intercâmbio de 35 mil bolsistas, "valor igual ao investido em alimentação escolar para atender 39 milhões de alunos".

De acordo com a nota, a Capes afirmou que a mudança no programa envolve um novo enfoque nos estudantes do ensino médio e no ensino de línguas tanto no exterior como no Brasil. Além disso, o órgão pretende aumentar a ênfase na mobilidade de estudantes professores e pesquisadores de pós-graduação, "com as instituições de ensino superior tendo uma participação mais ativa nos seus processos de internacionalização".

Gilberto Kassab, ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, se pronunciou sobre o assunto na terça-feira, dia 26 de julho."A gestão do Ciência Sem Fronteiras é da Capes e afeta o MEC, portanto, seria inadequada uma manifestação minha formal", diz. "Mas posso dizer que acompanho o tema e é público que o programa passa por uma avaliação no sentido de aperfeiçoar a eficiência e acredito que nossa assessoria de imprensa poderá encaminhar [as perguntas dos jornalistas na entrevista] para que o MEC possa dizer o que tem sido debatido internamente. Mas é público que, diante da conjuntura econômica do país, está se buscando mais eficiência para o programa", completa.