domingo, 16 de novembro de 2014

AULA DA SAUDADE NOS SABERES DA SERRA


Aconteceu nesta sexta-feira, dia 14.11.14, a última aula do programa Saberes da Terra na Serra do Mel/RN. Os alunos que moram nas vilas que compõem o município deslocaram-se, em ônibus, para a vila Rio Grande do Norte, onde se localiza a Escola Estadual Padre José de Anchieta. Fizeram isso por dois anos exatamente. Tempo necessário para que o programa pudesse ser completado e eles obtivessem, no mínimo, 75% da carga horária necessária para o recebimento do certificado de conclusão do ensino fundamental.


O professor Raimundo Antonio deu as boas-vindas a todos os alunos e seus filhos e fez um resumo desses dois anos de muita luta, pequenos percalços e, no final, uma ampla vitória da educação. O professor frisou ainda o compromisso daqueles que estavam ali e o vínculo criado entre eles nessas aulas semanais – na sala de aula e na comunidade onde cada um mora.


Noite em que a reflexão voltada para a economia solidária, o companheirismo e o coletivismo tomaram conta do ambiente, através de um vídeo exibido pela professora Teresa Cristina, que dizia mais ou menos assim:

A FORMIGA

Outro dia, vi uma formiga que carregava uma enorme folha.
A formiga era pequena e a folha devia ter, 
no mínimo, dez vezes o tamanho dela.
A formiga a carregava com sacrifício. 
Ora a arrastava, ora tinha sobre a cabeça.
Quando o vento batia, a folha tombava, 
fazendo cair também a formiga.
Foram muitos os tropeços, 
mas nem por isso a formiga desanimou de sua tarefa.
Eu a observei e acompanhei, 
até que chegou próximo de um buraco,
que devia ser a porta de sua casa.
Foi quando pensei: 
"Até que enfim ela terminou seu empreendimento".
Na verdade, havia apenas terminado uma etapa.
A folha era muito maior do que a boca do buraco,
o que fez com que a formiga a deixasse do lado de fora
para, então entrar sozinha.
Foi aí que disse a mim mesmo: 
"Coitada, tanto sacrifício para nada."
Lembrei-me ainda do ditado popular: 
"Nadou, nadou e morreu na praia."
Mas a pequena formiga me surpreendeu.
Do buraco saíram outras formigas,
que começaram a corta a folha em pequenos pedaços.
Elas pareciam alegres na tarefa.
Em pouco tempo, a grande folha havia desaparecido,
dando lugar a pequenos pedaços 
e eles estavam todos dentro do buraco.
Imediatamente me peguei 
pensando em minhas experiências.
Quantas vezes desanimei diante 
do tamanho das tarefas ou dificuldades?
Talvez, se a formiga tivesse olhado para o tamanho da folha,
nem mesmo teria começado a carregá-la. 
Invejei a força daquela formiguinha
Naturalmente, transformei minha reflexão 
em oração e pedi ao Senhor:
Que me desse a tenacidade daquela formiga, 
para "carregar" as dificuldades do dia a dia.
Que me desse a perseverança da formiga, 
para não desanimar diante das quedas.
Que eu pudesse ter a inteligência, a esperteza dela, 
para dividir em pedaços o fardo que,
às vezes, se apresenta grande demais.
Que eu tivesse a humildade para partilhar 
com os outros o êxito da chegada,
mesmo que o trajeto tivesse sido solitário.
Pedi ao Senhor a graça de, como aquela formiga, 
não desistir da caminhada,
mesmo quando os ventos contrários 
me fazem virar de cabeça para baixo;
mesmo quando, pelo tamanho da carga,
não consigo ver com nitidez o caminho a percorrer.
A alegria dos filhotes que, provavelmente, 
esperavam lá dentro pelo alimento,
fez aquela formiga esquecer e superar 
todas as adversidades da estrada.
Após meu encontro com aquela formiga, 
saí mais fortalecido em minha caminhada.
Agradeci ao Senhor por ter colocado 
aquela formiga em meu caminho
ou por me ter feito passar pelo caminho dela!





Após a exibição do vídeo, foi a vez de cada uma das professoras falar a respeito de sua experiência com os Saberes da Terra e seu o resultado – pessoal e profissional...

Professora Antônia Farias
Professora Elizângela Sales
Professora Luzia Isabela
Em seguida, as aniversariantes do mês...

A professora Teresa e as alunas Carla, Branca, Josefa e Antônia Farias
A sessão de fotos...





Os “mimos”...



Os comes, mimos e bebes...




Os abraços de despedidas...



Últimas fotos...





Da esquerda para a direita (em pé): Elisângela Sales, Jussicleide, Dulcicleide, Edna, Eliene, Anúbia, Luzia Isabela,
Carla, Branca, Josefa, Wélya, Elenilma, Antonia Farias, Luzia (e o mais novo Saberiano), Edimeire e Teresa Cristina
Da esquerda para a direita (de cócoras): João, Marcelo, Josivan, Anchieta, Luciano e Erismar
Da esquerda para a direita (em pé): Elisângela Sales, Jussicleide, Dulcicleide, Edna, Eliene, Anúbia, Luzia Isabela,
Carla, Branca, Josefa, Wélya, Elenilma, Antonia Farias, Luzia (e o mais novo Saberiano), Edimeire e Raimundo Antonio
Da esquerda para a direita (de cócoras): João, Marcelo, Josivan, Anchieta, Luciano e Erismar

Um comentário:

teresa cristina da silva moreira Cristina disse...

Parabéns, para todos que fizeram parte desta historia, diretamente ou indiretamente...